Allergo
AGENDE SUA CONSULTA (44) 3622-6393

Artigos

Asma 08 de novembro de 2010

A asma é uma das doenças de maior incidência no mundo. Aproximadamente duas em cada dez pessoas têm asma.

Até recentemente essa doença era pouco estudada. Não se sabia a incidência real na população e pouco se conhecia sobre a causa dessa doença. Não havia estimativa sobre o que a asma causava no individuo em relação à vida pessoal, ao seu trabalho e na sociedade. Em função disso, poucos medicamentos eram disponíveis para o tratamento e não se sabia exatamente o que o asmático poderia fazer para prevenir as crises e com isso melhorar a sua qualidade de vida.

Felizmente a situação está mudando! Novos medicamentos, nova abordagem de tratamento, novos conceitos de educação e, principalmente, nova compreensão da doença tem possibilitado um horizonte cada vez mais saudável e feliz para aqueles que têm asma.

O que é asma?

A asma é uma doença crônica conhecida desde a Antigüidade, causada por múltiplos fatores. Atinge de 15% a 20% da população. O asmático ao entrar em contato com alguns fatores desencadeantes apresenta uma contração involuntária da musculatura dos brônquios, fazendo com que o ar tenha dificuldade para entrar e principalmente sair dos pulmões, ou seja, acontece uma obstrução das vias aéreas; por isso a asma é considerada uma doença pulmonar obstrutiva do fluxo aéreo.

Chamamos essa ocorrência de crise asmática. Quando ela ocorre, o asmático tem dificuldade para respirar, praticar exercícios, realizar suas atividades habituais. Sabe-se que ao mesmo tempo que acontece essa contração da musculatura dos brônquios, ocorre também uma inflamação em suas paredes. Essa inflamação dificulta mais ainda a passagem de ar nos pulmões, e também age como fator desencadeante e de manutenção da crise. Por isso, atualmente, a asma é também considerada uma doença inflamatória.

Essas duas concepções – a mais antiga, que considerava a asma apenas como uma doença obstrutiva, e a atual, que considera a asma como uma doença inflamatória – é a razão de toda modificação na forma de tratamento.

Na verdade, o asmático é uma pessoa que apresenta resposta alterada a estímulos, aos quais a maioria das pessoas nada apresenta.

Antigamente a asma era chamada de bronquite alérgica, bronquite asmática, bronquite...Ficando vinculado o nome asma para os casos mais graves. Isso acabou, pois o nome correto é ASMA, que pode ser leve, moderada e grave, definindo assim todas as pessoas que tem esta doença de acordo com a sua gravidade.

QUAIS SÃO OS SINTOMAS?

Na crise de asma o paciente pode apresentar os seguintes sintomas:

- Tosse, sensação de peito apertado, chiado no peito, falta de ar, dificuldade para realizar esforços.

Esses sintomas podem variar de acordo com a pessoa, sua idade, seu condicionamento físico, entre outros fatores.

Geralmente a crise é precedida de sinais de alerta como:

- Crise de espirros, coriza, coceira no nariz, coceira vermelhidão nos olhos, entre outros.

É muito importante a pessoa asmática conhecer seus sinais de alerta e conhecer também quando a crise está iniciando, principalmente quando começa a se agravar e a colocar em risco sua vida.

A pessoa portadora de asma apresenta uma resposta alterada a diversos estímulos, atingindo não apenas os pulmões, mas também outros órgãos.

- No nariz, geralmente antes da crise, ocorrem, os espirros, a coriza, a coceira e a obstrução nasal. É importante lembrar que a rinite e a asma são respostas de órgãos diferentes ao mesmo estimulo. Muitos dos asmáticos tem também rinite e o tratamento adequado deve ser abrangente, tanto para a asma como para a rinite.

- Nos olhos, a mucosa pode apresentar vermelhidão crônica, coceira, irritação e lacrimejamento.

- Na pele dos pacientes com maior sensibilidade é comum à ocorrência de dermatite atópica (alérgica), com lesões nas dobras dos cotovelos, no pescoço, etc.

- Na garganta o paciente alérgico, também pode apresentar irritação. É o famoso “ram-ram” que antecede as crises.

- Nos pulmões acontece a contração da musculatura dos brônquios e a inflamação com o aumento de secreção, dificultando a passagem do ar.

- Na arcada dentaria também podem ocorrer alterações, pois pessoas que tem rinite associada à asma tem dificuldades em respirar pelo nariz.

 Alguns agentes que podem desencadear uma crise

O ácaro (inseto microscópico), parente das aranhas e dos carrapatos, costuma viver e se alimentar nos ambientes domésticos, nos agasalhos, colchões, travesseiros, etc. Alimenta-se de pele descamada, restos de alimentos... Este é sem duvida o maior causador de alergia respiratória e, portanto, da asma, assim sendo citamos abaixo por ordem de importância as substancias que podem causar esta doença:

- poeiras domesticas;
- pêlos de animais (gato, cachorro, cavalo...);
- insetos (como baratas);
- pólens

É importante que se saiba que, alem destes fatores existem outros, que muito embora não causem alergia, podem estar relacionados com a piora da asma ou até mesmo podem ser capazes de desencadear uma crise, por atuarem principalmente como irritantes das vias aéreas. São eles:

- mudanças de temperatura;
- cheiros fortes;
- fumaça;
- perfumes;
- cigarro;
- poluição;
- fatores emocionais.

Todo paciente bem orientado e corretamente medicado deve dispor de dois tipos de medicamento. Um para a crise, e outro para evitá-la (preventivo). Para evitar a crise, usamos os medicamentos que diminuem a inflamação pulmonar e a resposta alérgica. É importante saber que os medicamentos preventivos não têm muita ação durante a crise. Em caso de agravamento, deve-se procurar um pronto-socorro.

Medicamentos

Nos últimos cinco anos, grandes avanços ocorreram no tratamento da asma. Consulte seu médico para saber qual o mais recomendado para o seu caso.

Medicamentos para sair da crise

Preferencialmente, deve-se usar por via inalatória (as bombinhas). Elas são mais seguras, causam menos efeitos colaterais, requerem uma dose menor de medicamento e tem uma ação mais rápida. Cada paciente deve seguir a orientação de seu medico nesse sentido.

Existem outros medicamentos a serem usados também durante a crise. Converse com o seu medico, para saber os melhores remédios a serem utilizados no momento da crise. É importante considerar que com os avanços da medicina, é possível manter o paciente por longos períodos sem crise.

A asma e os esportes

O asmático pode e deve praticar esporte. É importante considerar que todas as pessoas, asmáticas ou não, tem a sensação de cansaço após o início do exercício físico. A falta de ar em excesso, porém para aquelas pessoas que apresentam crise com o exercício físico, pode impedir a pratica do esporte e, nesses casos pode ser utilizada medicação que impeça a constrição exagerada da musculatura dos brônquios. Essa medicação deve ser recomendada pelo medico responsável. Permitindo assim a pratica de esportes sem qualquer restrição.

Grandes campeões dos esportes são asmáticos. Podemos citar alguns como Marc Spitiz, com sete medalhas olímpicas de ouro em natação, Ricardo Prado, medalha de prata olímpica, Fernando Scherer (o Xuxa), recordista brasileiro nos 50 metros nado livre, Cassiano Leal e o ciclista espanhol Miguel Indurain, entre outros.

Dicas importantes

- Deixe o ambiente de convívio diário, principalmente o quarto, bem limpo e arejado.
- Retire do quarto objetos e moveis que possam acumular poeira como: cortinas, tapetes, bichos de pelúcia, livros, revistas e jornais.
- Cubra os travesseiros e colchões com capas próprias.
- Evite o uso de produtos químicos, como: removedores, lustra-móveis, inseticidas e sprays em geral.
- Evite animais domésticos.
- Não fume no ambiente do alérgico.
- Na higiene pessoal, evite produtos químicos que tenham perfume.
- Limpe os moveis com um pano úmido uma vez por dia.
- Agasalhe-se de acordo com a necessidade. No caso das crianças, as mães não devem agasalha-las em excesso.

Asma - Mitos e Verdades

MITO: Crianças com ASMA devem evitar gelado e permanecer sempre bem agasalhadas.

VERDADE: crianças com ASMA devem levar uma vida inteiramente normal, sem restrições.

MITO: bombinhas fazem mal para o coração.

VERDADE: medicamentos por via inalatória são mais indicados para o correto tratamento da ASMA.

MITO: bombinhas viciam.

VERDADE: a medicação via inalatória bem orientada não causa qualquer dependência física ou psicológica.

MITO: asmáticos não podem praticar esportes.

VERDADE: pacientes portadores de ASMA devem praticar exercícios aeróbicos para melhorar o condicionamento físico.


Escrito Por: Dr. Tito César Nery – CRM 34168 – Médico Pneumologista
Membro da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Fisiologia
Associado a Interasma (International Association of Asthmology)
Interasma Membership

                   Dra. Yara Arruda M.F.Mello – CRM30307 – Medica Alergologista
Membro da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunopatologia
Diretora do Serviço de Alergia e Imunologia do Hsp. Prof. Edmundo Vasconcelos

Fonte: Sociedade Brasileira  de Asmáticos SBA - Regional de São Paulo

Link: http://www.artsbrasil.org.br/fase2/materia.asp?p=126





Avenida Rio Branco - 4332 - 87501-130 - Umuarama/PR - (44) 3622-6393
Facebook


Prestige